Como o Warriors montou seu time campeão

Shares 0

Quebrando recordes na temporada regular e nos playoffs, passando por cima de todos os times da liga facilmente e conquistando fãs e admiradores em todo mundo, só um imprevisto enorme separa o Golden State Warriors de uma iminente dinastia na NBA. Mas como isso aconteceu?

A franquia californiana, sediada atualmente em Oakland, foi campeã em 1947 e 1956 quando ainda era o Philadelphia Warriors e em 1975 já como Golden State. Após isso amargurou décadas e décadas de temporadas pífias e campanhas medíocres, onde era apenas uma coadjuvante na liga. Mas nessa década isso mudou.

Nesse artigo, veremos como o Golden State Warriors montou o super time que domina a liga nos dias de hoje. Entre Drafts, trocas e contratações, vamos explorar os passos fundamentais dos executivos da franquia para leva-la ao topo da liga.

 

Antes da glória

tumblr_nyd657rcit1u9d32zo1_500

Na primeira metade da década de 70, com nomes como Rick Barry e Jamaal Wilkes, lendas da franquia, o Warriors figurava sempre entre os melhores times da NBA, culminando com o título na temporada 1974-75. A boa fase durou até 1976, sendo que em 1977 os principais nomes do time debandaram, e o Warriors entraria em seus tempos obscuros.

De 1977 a 2006, um período de 29 anos, a franquia só conseguiu vaga nos Playoffs apenas 6 vezes. Da temporada 1995-96 até a temporada de 2005-06 foram 12 anos sem chegar à pós temporada, recorde que só foi ser batido este ano pelo Minnesota Timberwolves. A péssima sequencia só foi quebrada quando o time beliscou a última vaga do Oeste na temporada 2006-07, sendo eliminada no segundo round pelo Utah Jazz. Depois desse breve “sucesso”, foram mais 5 temporadas em playoffs, até 2011-12.

Nesse período, os GM’s e diversos técnicos que passaram pela franquia falharam categoricamente em atrair bons jogadores na free agency, e principalmente, em fazer boas escolhas nos Drafts. A franquia tem um imenso histórico de erros, que hoje parecem inacreditáveis, no Draft. Como por exemplo em 1996, quando o Warriors draftou com a décima primeira escolha Todd Fuller(conhece?) na frente de jogadores como Kobe Bryant e Steve Nash. No ano seguinte, com a oitava escolha geral, o então GM Dave Twardzik selecionou Adonal Foyle, na frente de Tracy McGrady. Outra “famosa” escolha do time foi o jogador Steve Logan, selecionado no Draft de 2002, que nem sequer chegou a pisar em uma quadra da NBA. Um dos únicos “acertos” da franquia foi draftar com a quinta escolha de 1998, Vince Carter. As aspas foram colocadas porque ele foi trocado para o Raptors logo em seguida.

 

Monta Ellis ou Stephen Curry?

curry-and-ellis-dubs

Hoje em dia parece uma piada sem graça, mas esse questionamento realmente existiu. Draftado em 2005 com a pick de número 40, Monta Ellis era o Franchise Player do Golden State Warriors. Ele tinha levado a franquia à sua melhor temporada e única aparição nos Playoffs em anos. Era de longe a principal arma ofensiva do time.

Do outro lado tínhamos Stephen Curry. Selecionado em 2009 com a sétima escolha do Draft, o jovem armador mostrava relances do que poderia se tornar, mas suas frequentes lesões no tornozelo o deixava desacreditado por muitos jornalistas e torcedores. Pra se ter uma ideia, na temporada de 2011-12 Curry jogou apenas 6 jogos.

Os dois jogadores tinham 3 anos de contrato restantes. Monta Ellis como Franchise Player, obviamente, ganhava muito mais que o jovem Curry. E também pediria muito mais em uma eventual renovação. O time não tinha química dentro de quadra e sofria com o seu fraco garrafão. Ficava difícil o Warriors conseguir uma vaga nos playoffs sem fazer nenhuma mudança. Um Big Man de elite era essencial para o momento do time.

E em todo esse cenário caótico surgia apenas uma certeza: Curry ou Ellis tinham que ser trocados. E o Warriors se via em uma decisão extremamente difícil, se eliminarmos tudo o que sabemos sobre Curry hoje em dia. Ficar com seu FP, um scoring machine um tanto caro, mas que nunca realmente levou seu time a lugar nenhum ou com um jovem jogador com um grande potencial mas um histórico bizarro de lesões?

Na época(2012), o Bleacher Report chegou a escrever: “Vai ficando cada vez mais difícil trocar Monta Ellis em favor de Curry quando Curry não consegue ficar saudável”. Mas o Warriors resolveu apostar todas as suas fichas no Curry, e em março de 2012 Monta Ellis, junto com Kwame Brown e Ekpe Udoh, foi trocado para o Bucks em troca do Pivô Andrew Bogut.

Depois do primeiro título do Warriors, em 2015, Monta Ellis disse em entrevista:

Tudo acontece por uma razão. Eu acho que se eu estivesse lá, nós provavelmente não teríamos ganhado um campeonato.”

 

Sucesso no Draft

  062415_draftblog_3dubs_760

Depois de tanto tempo com escolhas furadas, uma hora o Warriors iria começar a acertar. A hora do Warriors ia chegar.

A primeira escolha que mudaria a história da franquia foi em 2009 com Stephen Curry na sétima pick. A segunda aconteceu 2 anos depois, quando o Shooting Guard Klay Thompson foi escolhido da décima primeira posição. Em 2012 o time Draftou Harrison Barnes, Draymond Green e Festus Ezeli. Do quinteto titular do primeiro campeonato, apenas Bogut não havia sido selecionado pelo Warriors no Draft.

Com uma base jovem, sólida e promissora formada via Draft e um pivô titular experiente e de qualidade defensiva inquestionável, o Warriors só precisava buscar algumas peças pra compor um bom banco e o time estava praticamente montado.

Um movimento essencial pro sucesso do grupo foi a contratação de Andre Iguodala em 2013. O Warriors trocou Richard Jefferson, Andris Biedrins, Brandon Rush e duas escolhas de primeira rodada(2014 e 2017) para o Jazz com a intenção de abrir espaço no CAP salarial para assinar com o veterano, que chegou a ser eleito para o All Star game de 2012 quando ainda jogava pelo 76ers. Iguodala, que era o Franchise Player do Sixers, e em seguida do Nuggets, aceitou um papel de menor expressão no Warriors, sendo o líder da segunda unidade do time, garantindo uma profundidade excelente no elenco.

A franquia continuou a reforçar sua segunda unidade ao longo do tempo, contratando jogadores como Marreese Speights e Shaun Livingston(2014), tornando-se o time com um dos bancos mais fortes da liga.

Estilo de jogo

141125094104-steve-kerr-in-warriors-huddle-112514-home-t1

Ter um time recheado de estrelas e ótimos jogadores coadjuvantes não adiante de nada sem um plano de jogo que valorize suas peças. Para uma equipe deixar de ser apenas um grupo de caras jogando basquete e se tornar um time de fato, é necessário ter um estilo, uma característica de como esse time joga. Steve Kerr trouxe isso pro Warriors.

Se você não acompanhou ou nunca viu vídeos de Kerr em sua época de jogador, vou descrever brevemente algumas de suas características. Kerr era um jogador que tinha como o forte de seu jogo o arremesso. Ele era um monstro na linha de 3 pontos, e raramente errava lances livres. Um dos melhores arremessadores que a liga já viu, além de ser relativamente baixo e rápido. Acham que ele se encaixaria bem, como jogador, nesse time do Warriors? Pois é, não é a toa.

Antes da temporada de 2014-15 o Warriors enfrentava uma grande turbulência na sua comissão técnica. O então assistente técnico Brian Scalabrine foi “rebaixado” para o afiliado da franquia na D-League por “diferenças na filosofia de trabalho” com o Head Coach Mark Jackson. Duas semanas depois, outro assistente técnico, Darren Erman, foi demitido por secretamente gravar conversas entre técnicos, jogadores e funcionários. Tudo isso culminou na demissão de Mark Jackson, que foi apenas o terceiro técnico na história da franquia a liderar o time à uma campanha de pelo menos 50 vitórias em uma temporada.

Em Maio de 2014 o Warriors, muito acertadamente, contratou o então comentarista TNT para preencher a vaga de Head Coach do time. Vou exaltar novamente como foi perfeita a decisão da diretoria do Warriors de escolher um técnico como Kerr para comandar e moldar esse time. Kerr entendia melhor do que ninguém como um time poderia jogar em uma line-up mais baixa(Small Ball) e com um jogo baseado em arremessos de longa distância. O trabalho de analisar o elenco e escolher o técnico que melhor se encaixaria nele foi o que levou a franquia à glória já no ano seguinte, com seu primeiro título em décadas.

Kevin Durant

hi-res-7be19e9e968cdf3badd17d4556e05c30_crop_north 

E o capítulo mais recente dessa história você provavelmente já conhece. Depois de conseguir o incrível recorde de 73-9 na temporada regular, o Warriors conseguiu a mais incrível ainda proeza de perder uma final depois de liderar por 3-1. A diretoria não se acomodou, e buscou mais maneiras de reforçar o time ainda mais.

Para buscar espaço salarial para o astro do OKC, o time teve que se livrar de importantes peças de sua historia recente. Andrew Bogut, por exemplo, teve de ser trocado para o Mavs. O Brasileiro Leandro Barbosa também perdeu seu espaço no time, tornando o banco mais enfraquecido. Mas a mais significante mudança foi Harrison Barnes, que se tornou agente livre logo após a temporada de 2016. Era a deixa perfeita para o Warriors assinar com Durant.

Em uma escolha polêmica, Durant aceitou a proposta do Warriors e assinou com o time por 2 anos. A franquia, que no ano anterior tinha tido a melhor temporada regular da história da NBA, contava agora com o jogador que é, discutivelmente, o segundo melhor da NBA. O Warriors voltava novamente ao topo da liga.

 

Depois de décadas e décadas de fracassos, a diretoria do Warriors deu uma aula de como montar um time. Com uma reconstrução gradual e eficaz, a franquia californiana mostrou como bons Drafts são essenciais, e podem levar qualquer time ao topo da NBA em poucos anos. Além disso, decisões certas foram tomadas em momentos cruciais, tornando o time cada vez mais forte ano após ano.

Aos demais, resta apenas aguardar, já que não parece que o reinado do Golden State Warriors vai acabar tão cedo.

9 thoughts on “Como o Warriors montou seu time campeão

  • June 26, 2017 at 10:21 am
    Permalink

    Essa matéria mostra que se faz necessário ter planejamento e ser fiel há ele para dar resultados futuros. Parabéns pela matéria!

  • June 26, 2017 at 10:44 am
    Permalink

    Muito bom, todas franquias deveriam seguir o exemplo

  • June 26, 2017 at 11:09 am
    Permalink

    Parabéns pelo excelente texto Caio!
    Faltou falar sobre a grande importância de Varejão kkkkkkkk

  • June 26, 2017 at 5:41 pm
    Permalink

    Mias um texto pontual e excelente. Esse site tá de partabéns! Conteúdo de qualidade. Boa Caio!

    • July 2, 2017 at 10:45 pm
      Permalink

      Já viu o top 10 momentos do Shaq?

  • July 12, 2017 at 4:59 pm
    Permalink

    Excelente matéria! Trívia: Caio é vizinho de nenê hilário na vida real! Por isso tem tanto conhecimento nas internas da liga RS.

  • July 21, 2017 at 2:31 pm
    Permalink

    Teste

Comments are closed.

0 Shares
Share
Tweet